Insônia

Roendo os cantos das unhas

Ligando e desligando a tv

Lendo livros inúteis

Falando sozinha

Escrevendo

Alongando os braços

Respirando fundo

Acordada, profundamente acordada. Sem previsão de sono. Os minutos passam. O relógio avisa que eu vou dormir na hora errada.

Então eu aviso que não quero dormir, não suporto dormir, que inferno! Às vezes com o adormecer vem o receio de que algo está  errado.

No limbo entre “quase dormindo” e “dormindo” tenho desconfortos insuportáveis. Como algo remexendo no fundo da minha cabeça pensamentos que não deveriam vir à tona,  que estão encobertos, escondidos, velados por algum motivo.

Deito a cabeça no travesseiro e peço pra não sonhar. Tomo um gole d’água antes de apagar a luz, mas depois de tirar os óculos. O escuro fica girando ante meus olhos, aumentando de tamanho até estourar. Sensação de fim de mundo. Viro de lado e esbarro no copo d’água. Há doze anos durmo todos os dias com um copo na cabeceira da cama. Maldita mania. Medo ou preguiça de acordar durante a noite com sede e não ter água pra tomar

Mas nunca acordo durante à noite.

Adormecer é difícil.

Acordar é imensamente difícil.

Não existe mundo de verdade para os insones.

Deito-me no mundo paralelo das olheiras e pesadelos…acho que assim nasceu o amor pelas trevas

Boa noite…

 

Anúncios