Tão distante

De seus olhos

Da sua voz…

.

Ah, revoltada!

Com o vento das suas palavras

E com minha voz que diz nada

Inutilidade de diálogos com começo e fim

Passos contados rumo a encontros de sorte

Acasos, acasos, acasos!

O que penso só se traduz em poema, mas não se traduz em poema

A prosa também fica pelo caminho, jogada, negada,trincada

Não há nada de surreal nisso

Não há nada de romântico nisso

É simplório

Ínfimo

Sem sentido

No vento frio, no rastro frio

.

Na realidade e no desejo de sentir

Tudo o que é sentir

Morrer e renascer a cada segundo

Rasgar a alma

Gritar em meio a milhões

Amar.

Anúncios

1 Comentário

  1. “Grito em meio a Bulhões”
    (ui)

    Já disse que gosto do que você escreve, Xuxu?
    \o/


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s